segunda-feira, 14 de janeiro de 2008

Primeira Canção

Esperado


Sento, espero, e penso no tempo
Tempo que foi tempo atrás
Tento, um tempo, que era de espera
De tanto faz
E nada mais

E tento me achar
No que me corrói
Tempo que é nada
Que hoje me dói
Tarde demais pra ver

Tempo, espero, revejo o vazio
Tudo o que não fiz por ti
Tento, voltar mas, o tempo está frio
Não volta mais, afinal
Morre no cal das horas

Só quero acordar
Do que me destrói
Tudo o que não fui
É o que me remói
Tarde demais pra ser

Olha, estou aqui
Não posso ir embora
Não vai
Volta aqui
Quero tentar viver
Passou depressa
Sento, um tempo
Tarde demais eu
Tento, espero
Um tempo atrás, me
Olha, espero
Um tempo
Me espera
Não posso
Espero
Por mim

(em homenagem ao meu "Y").

Um comentário:

Karina disse...

por tudo que senti lendo esses textos... PARABÉNS!!!
foi um oásis no meu dia cheio de formalidades e deveres e falsas concretudes...
continue assim, criativo, inteligente, sensível, estudioso, não necessariamente nessa ordem!
grande beijo,
da sua colega dos tempos de ipq,
karina leite